Cloroquina e Azitromicina

A pandemia pelo novo Coronavírus é o principal assunto nos noticiários e publicações científicas ao longo das últimas semanas. O uso da associação Cloroquina (ou Hidroxicloroquina) e Azitromicina surge como possível adjuvante no tratamento dos casos mais graves e ganha força em cenários mais brandos, no sentido de evitar desfechos catastróficos. Desse modo, a discussão dos conhecidos efeitos colaterais do uso desses medicamentos se faz necessária, sendo o risco do prolongamento do intervalo QT, e da consequente possibilidade de morte súbita, os seus principais expoentes.

Recomendações

Por isso, recomendações sobre a avaliação do intervalo QT, como a recentemente sugerida pela renomada instituição Mayo Clinic (figura) e o posicionamento de alerta das principais sociedades de arritmia do mundo sinalizam para a necessidade de aumentar a segurança no uso de tais fármacos. Nesse contexto, a telemetria com a monitorização eletrocardiográfica em tempo real e online, tem grande valor, sendo amplamente citada nas referidas recomendações.

Figura 1

Como acompanhar o risco do aumento do QT?

As respostas sobre o benefício da associação Cloroquina e Azitromicina ainda são preliminares e a utilização é mais comum em pacientes internados, o que facilita a observação dinâmica do intervalo QT. E quanto aos pacientes onde se julgue útil o uso da droga, mas não a internação? Como acompanhar o risco do aumento do QT? Eletrocardiogramas seriados? Idas periódicas ao consultório? Essas soluções não parecem razoáveis para este paciente, justamente o que mais beneficiaria a sociedade com seu isolamento.

Monitoração em tempo real do intervalo QT

Nesse sentido, é importante ressaltarmos a eficácia do sistema Web Looper, tecnologia brasileira capaz de monitorizar pacientes em tempo real, com visualização dos traçados eletrocardiográficos pela internet e aferição “on time” do intervalo QT. Essa ferramenta possibilita que os médicos avaliem possíveis complicações arrítmicas relacionadas ao uso das medicações contra o novo Coronavírus logo após as primeiras doses, aumentando a segurança na tomada de decisão de seguir ou descontinuar os fármacos.

Dessa forma, a telemedicina, representada pelo sistema Web Looper, tem papel fundamental em garantir a segurança dos pacientes que utilizam a combinação Cloroquina ( Hidroxicloroquina) e Azitromicina e pode, assim, contribuir em larga escala na luta contra a pandemia pelo novo Coronavírus.

Dr. Rodrigo do Souto da Silva Sá

Dr. Guili Pech

Leia também: A indicação da cloroquina ou hidroxicloroquina associada à azitromicina no tratamento da COVID-19

3 thoughts on “Cloroquina e Azitromicina: como a monitorização remota pode aumentar a segurança no tratamento contra o novo Coronavírus?

    • Rodrigo Padovez says:

      Prezado Sr. Guilhermo, obrigado pelo contato e pela pergunta. A monitorização de eventos é prevista no Roll da Ans pelo código tuss 20102062, no entanto para um período de 15 dias de monitorização . A melhor forma de saber os detalhes , é checar com o seu convênio . Equipe DI

  1. Pingback: A indicação da cloroquina ou hidroxicloroquina associada à azitromicina no tratamento da COVID-19 - Cardio Web

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *