A indicação da cloroquina ou hidroxicloroquina associada à azitromicina no tratamento da COVID-19 tem sido amplamente discutida.

Considerando o risco de prolongamento do intervalo QT e de arritmias cardíacas relacionadas ao uso desses medicamentos, a American College of Cardiology acaba de publicar um artigo com orientações importantes quanto à segurança para uso hospitalar e ambulatorial, que podem nortear a decisão de indicar tais medicamentos.

O texto traz sugestões quanto ao monitoramento do intervalo QT e de arritmias , usando telemetria e/ou ECGs intervalados, considerando o grau de risco de cada paciente, a disponibilidade de recursos e vários outros aspectos relacionados à quarentena.

Os autores encorajam a individualização na indicação das medicações anti-COVID-19 , até que mais evidências estejam disponíveis. Além disso, apontam sugestões para realização de “trials“ nessa área, e indicam quais elementos devem ser registrados e que protocolos podem nortear a condução de tais pesquisas.

Por fim, os autores concluem que o uso da cloroquina ou hidroxicloroquina para o tratamento da COVID-19, apesar de ainda não embasado por ensaios clínicos, pode ser viável, mas sempre sob orientação médica e munida de informações a respeito do intervalo QT.

Leia o artigo completo no site da American College of Cardiology

Leia também: Cloroquina e Azitromicina: como a monitorização remota pode aumentar a segurança no tratamento contra o novo Coronavírus?

One thought on “A indicação da cloroquina ou hidroxicloroquina associada à azitromicina no tratamento da COVID-19

  1. Pingback: Cloroquina e Azitromicina: como a monitorização remota pode aumentar a segurança no tratamento contra o novo Coronavírus? - Cardio Web

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *