O marca-passo e suas características – O coração é repleto de cavidades como ventrículos e átrios que se comunicam por meio de aberturas entre eles. O sangue oxigenado que chega ao átrio esquerdo, cai no ventrículo do mesmo lado que expulsa o líquido para a aorta. Desse ponto, segue para todas as partes do corpo. Mas, para que toda essa engrenagem funcione, o músculo cardíaco precisa receber impulsos elétricos. Em algumas pessoas, esses impulsos ocorrem em um ritmo desordenado e, para que eles voltem ao normal, o uso de marca-passo pode ser necessário.

O que é um marca-passo?

O marca-passo é um aparelho que é colocado no coração de pessoas que apresentam problemas em manter o ritmo cardíaco normal. Assim, o aparelho também é utilizado para portadores de bradicardia, ou seja, pessoas que apresentam o ritmo cardíaco baixo (normalmente abaixo de 40 bpm).

Do not use a larger dose of fentanyl, use the medication more often, or use it for a longer period of time than prescribed by your doctor. VANIQA has only been studied on the face and adjacent involved areas under the c… Taking Banzel could increase your risk of sudden death or irregular heart rhythm dansk-apotek.com. Iressa (gefitinib) is a cancer medication that interferes with the growth and spread of cancer cells in the body.

Como o marca-passo funciona?

O aparelho possui, basicamente, 3 componentes: gerador de pulso, o programador e os eletrodos. Vamos falar agora sobre cada uma dessas partes:

Gerador de pulso:

é dentro dele que vamos encontrar os circuitos eletrônicos e também a bateria. É implantado próximo à clavícula e é o responsável por enviar os pulsos elétricos para o coração de acordo com as necessidades do paciente.

Eletrodos:

são os fios que conectam o gerador de pulso ao coração. É pelos eletrodos que os pulsos elétricos são levados até o músculo cardíaco. Outra função dessa parte do aparelho é a de levar os sinais dos batimentos cardíacos do paciente para que ocorra uma adaptação.

Programador:

é o cérebro de toda a operação. O programador é usado pelo cardiologista que realiza todas as configurações necessárias para que o marca-passo consiga estabelecer um ritmo cardíaco normal no indivíduo. Assim, não é necessária a realização de uma cirurgia para corrigir o problema.

Quais os tipos de marca-passo?

Unicamerais e bicamerais

Nesse caso, apenas um átrio ou um ventrículo é estimulado. Há também os bicamerais, aparelhos que estimulam, ao mesmo tempo, um átrio e um ventrículo. Hoje o marca-passo multissítio, aparelho que estimula o átrio direito e o dois ventrículos ao mesmo tempo, está cada vez mais comum.

Unipolares e bipolares

No caso dos unipolares, apenas um polo – normalmente o negativo – está em contato com o coração. Já os bipolares, apresentam dois polos em contato com o miocárdio. O marca-passo definitivo costuma ser do tipo unipolar.

Temporários ou definitivos

Como o próprio nome já diz, o marca-passo temporário ficará implantado no paciente até que o problema se resolva. É utilizado nos casos de bradicardia reversível. Já o definitivo é implantado quando o indivíduo apresentar bradicardia irreversível ou no caso de possíveis lesões perigosas que possam ser causadas pela falha no sistema de condução.

Não competitivos e competitivos

Os não competitivos respeitam o ritmo normal do coração do paciente. No caso dos competitivos, também chamados de assincrônicos, o aparelho segue em um ritmo próprio, sem se adaptar ao indivíduo.

Endocárdicos e epicárdicos

Aqui a classificação é feita de acordo com a forma de implantação do aparelho no organismo do paciente. Nos endocárdicos, os eletrodos são implantados por via transvenosa, já os epicárdicos – são raros atualmente – a implantação é feita por toracotomia.

Não programáveis, programáveis e multiprogramáveis

Nesse caso, estamos falando da capacidade dos aparelhos serem programados de acordo com alguns parâmetros. Os programáveis, por exemplo, apresentam até 2 parâmetros programáveis e os multiprogramáveis são classificados assim por permitirem a programação de mais de 2 parâmetros. Esse último tipo é o que temos no mercado hoje.

Como é a vida de um paciente com marca-passo?

Após os primeiros 30 dias da cirurgia para implantação do equipamento, o paciente segue uma vida normal. Depois de muitos anos é necessário trocar a bateria, mas o médico responsável pelo monitoramento do aparelho saberá quando fazer a troca. No mais, o indivíduo precisa ter alguns cuidados com o aparelho de marca-passo, mas pode viver de forma muito tranquila e o prognóstico costuma ser bom. Compartilhe esse post nas redes sociais e ajude outras pessoas com essas informações!

One thought on “Marca-passo: indicações, como funciona e os tipos utilizados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *